Deputado retira projeto de lei que visava liberar a venda de bebidas alcoólicas nos estádios

Diário do Commercio

PROIBIÇÃO

De acordo com o autor do projeto, o deputado Antônio Moraes (PSDB), nem os clubes nem a FPF demonstraram interesse em dar continuidade ao projeto

Haim Ferreira

Consumo de bebidas alcoólicas em Pernambuco estão proibidas dos eventos esportivos profissionais desde 2009

Foto: AFP

O deputado estadual Antônio Moraes (PSDB) anunciou, na tarde desta terça-feira (12), em sessão do plenário, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE), que retirou o Projeto de Lei (PL) de sua autoria que visava liberar a venda e o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol do Estado.

De acordo com o político, a decisão foi tomada devido à falta de interesse dos três grandes clubes da capital – Sport, Santa Cruz e Náutico -, além da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) em dar continuidade à proposta, que estava arquivada desde o fim do ano passado por não ter sido votada.

“Optei por retirar definitivamente este projeto porque ele já havia mais de seis meses que ele estava arquivado e ninguém dos clubes ou da FPF chegou para cobrar uma votação. Não irei mais me manifestar sobre isto, mas se algum outro deputado apresentar esta proposta novamente, irei apoia-lo”, justificou Antônio Moraes.

Ainda segundo ele, a questão da proibição das bebidas nos estádios – em vigor nos eventos esportivos profissionais desde 24 de março de 2009 -, deve ser abordado de uma maneira mais abrangente. “O problema da violência não está na bebida, mas fora do estádio. Eu sou totalmente contra qualquer tipo de proibição. Acredito que o caminho seja a educação e não o veto”, afirmou.

O presidente da FPF, Evandro Carvalho, compartilhou da opinião e reforçou que continuará apoiando a causa defendida por Antônio Moraes. “Continuamos totalmente a favor da volta das bebidas nos estádios. Isto é uma tendência natural. Somos um dos poucos estados do Brasil que ainda continua com essa legislação equivocada. Iremos procurar o deputado mais uma vez para sabermos o que precisa ser feito para que possamos contribuir com os avanços do projeto”, afirmou o mandatário.

Vale lembrar que, no fim do último mês, a Comissão de Saúde da ALEPE já havia rejeitado o projeto, assim como a Comissão de Cidadania. Os colegiados de Justiça, de Desenvolvimento Econômico, de Administração Pública e de Esporte, no entanto opinaram pela aprovação.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.