Caminhoneiro trabalha demais e abusa do álcool, diz pesquisa

Jornal O Estado de S. Paulo

JOSÉ MARIA TOMAZELA – O ESTADO DE S. PAULO

Levantamento foi feito em duas rodovias do Estado de São Paulo e aponta também que 71,5% dos condutores estão acima do peso

Pesquisa mostra que 34% dos caminhoneiros no Estado de São Paulo apresentam hipertensão arterial

SOROCABA – Quase a metade dos caminhoneiros que trafegam por rodovias do Estado de São Paulo tem jornada excessiva ao volante e admite abuso no consumo de álcool. A conclusão é de pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 27, pela Secretaria Estadual de Saúde. As entrevistas foram realizadas em março e abril deste ano nas Rodovias Fernão Dias, na região de Bragança Paulista, e Transbrasiliana, na região de Marília, ambas no interior de São Paulo.

A amostragem, que abrangeu 309 motoristas, indicou ainda que 71,5% dos caminhoneiros estão acima do peso e 34% apresentam hipertensão arterial. Mais da metade deles – 56,3% – apresenta redução de força manual. O excesso de jornada foi apontado por 48,5% dos entrevistados, enquanto 45% afirmaram que abusavam do álcool.

O levantamento fez parte do programa “Comando de Saúde nas Rodovias”, que envolve ainda o Serviço Social do Transporte (Sest), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com Simone Alves, da Divisão Estadual de Saúde do Trabalhador, a ação objetiva avaliar a saúde dos motoristas de cargas pesadas e contribuir para aumentar a segurança dos demais motoristas que trafegam pelas rodovias. Além de orientações e encaminhamento, os entrevistados receberam vacinas.

Para o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros do Estado de São Paulo (Sindicam), Norival de Almeida Silva, o quadro apresentado pela pesquisa reflete as condições de trabalho do profissional.

“Isso acontece também em outras rodovias e resulta dessa jornada excessiva que sacrifica o trabalhador e contribui muito para os acidentes”, afirmou o presidente do sindicato.

Segundo Silva, a Lei 13.103, também conhecida como Lei do Caminhoneiro, reduziu o período de descanso e aumentou o tempo do motorista ao volante.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.