É proibido fumar: EUA vetam maconha legalizada entre funcionários do governo

Revista Veja

Funcionários públicos federais e militares poderão ser demitidos se usarem maconha nos Estados que permitem o consumo recreativo da droga

Folhas de maconha (Hugo Ortuño/EFE)

Nos Estados americanos de Colorado, Washington, Alasca e Oregon e no Distrito de Columbia, onde fica Washington, capital dos Estados Unidos, o uso recreativo da maconha é permitido. Mas não para funcionários públicos federais e militares: eles estão proibidos de fumar, plantar ou portar qualquer quantidade da droga, não importa onde estejam.

Nesta quarta-feira, um novo guia do Escritório de Gestão Pessoal (OPM, na sigla em inglês), que determina as regras dos servidores federais nos Estados Unidos, definiu que, para os cerca de 4 milhões funcionários do governo e militares americanos, o uso recreativo ou medicinal da maconha é proibido em todo o território nacional – em 23 Estados e na capital do país, o uso medicinal da erva é legalizado.

“Os diretores ​​das agências devem informar suas equipes que as mudanças nas legislações de alguns estados e no Distrito de Columbia não alteram a lei federal em relação à maconha”, diz um memorando publicado no site do OPM. Segundo a agência, o uso e posse da droga podem resultar em demissão.

Segundo o jornal The Washington Post, testes de rotina são realizados para prevenir o uso de drogas entre funcionários responsáveis pela segurança nacional e o cumprimento da lei. Outros empregados, contudo, só podem ser submetidos a exames se seus supervisores suspeitarem do uso de substâncias ilícitas durante o trabalho.

(Da redação)

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.