Conselho decide adiar para 2016 exame antidroga em caminhoneiros

Jornal Folha de S. Paulo – EDUARDO GERAQUE DE SÃO PAULO

A entrada em vigor do polêmico exame antidoping para caminhoneiros está adiada para 1º de janeiro de 2016.

A nova data consta de uma resolução publicada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Em princípio, o exame passaria a ser obrigatório a partir de junho.

Instituído pela chamada Lei do Caminhoneiro, o teste antidoping deverá ser feito pelos motoristas com carteiras das categorias C, D e E.

Tanto durante a primeira habilitação quanto na renovação do documento, que ocorre a cada cinco anos.

A verificação do uso de drogas vai ocorrer por um exame toxicológico feito com o fio de cabelo do motorista.

Em princípio, será possível estimar o consumo de drogas ilícitas, como a cocaína, maconha, crack, heroína e os chamados rebites, nos 90 dias anteriores ao exame.

Apesar de ser a favor de uma fiscalização rígida contra o uso de drogas por partes dos motoristas profissionais, instituições como a Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) estão se posicionando contra a exigência do exame.

O principal argumento deles é que esse exame não detecta, com precisão, quando o uso da droga ocorreu.

O motorista pode parar de usar substâncias ilícitas um curto período de tempo. Renovar sua carteira e voltar a usar drogas, dizem os médicos da Abramet.

Em seu parecer contrário a medida, a Abramet diz que “se a resolução em pauta passar a ser aplicada seremos o único país no mundo a adotar essa medida”.

Em outros lugares, o exame existe como um instrumento complementar na investigação de acidentes.

A estimativa é que o custo do exame vai girar entre R$ 250 e R$ 350. O governo ainda vai credenciar as empresas que farão os testes.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.