Motorista que causou morte na contramão tinha bebido, diz polícia

G1

Assessor de imprensa bateu de frente com outro veículo na Rubem Berta.
Ele responderá por homicídio doloso, tentativas de homicídio e embriaguez.

O motorista que dirigia na contramão e causou a morte de outro condutor na Avenida Rubem Berta, na manhã deste domingo (28), havia ingerido bebida alcoólica, segundo a Polícia Militar.

A embriaguez do assessor de imprensa Denilson Olveira, de 37 anos, foi confirmada pelo teste do bafômetro, mesmo sete horas depois do acidente. Outros três ocupantes do veículo atingido ficaram feridos. “Ele estava com odor de álcool no hálito, olhos avermelhados, desajeitado. Estava desorientado”, disse o tenente da PM André Vaz de Lima ao SPTV.

A batida foi às 5h50, no sentido Centro, a menos de 1 km do Aeroporto de Congonhas, segundo o Corpo de Bombeiros.  Ele dirigiu seu Chevrolet Agile por 2km na contramão até bater de frente com o Fiat Uno do assessor parlamentar Domingos Souza de Jesus, de 45 anos. Ele morreu na hora.

Domingos tinha saído de Embu das Artes, na Grande São Paulo, para levar a sogra para o Terminal Rodoviário Tietê, na Zona Norte. Também estavam no carro um cunhado e um sobrinho.

Em depoimento na delegacia, Oliveira afirmou que tinha ido a um show antes do acidente, onde consumiu vodca e uma bebida alcoólica de origem alemã. Ele disse que não se lembrava de ter dirigido na contramão.

Um cachimbo também foi encontrado em seu carro. Segundo Oliveira, teria sido usado para consumir metanfetamina em janeiro.

Oliveira foi preso e já foi encaminhado a um Centro de Denteção Provisória (CDP). Ele responderá por homicídio doloso, quando se assume o risco de matar, além de tentativas de homicídio e crime de embriaguez.

Colisão
De acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, a colisão ocorreu por volta das 5h50 na Avenida Rubem Berta, sentido Centro, em direção à Avenida 23 de Maio, a menos de 1 quilômetro de distância de Congonhas. O trecho chegou a ficar completamente interditado, causando lentidão de veículos, que tiveram de ser desviados com o auxílio dos agentes de trânsito da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

O trecho onde teve a colisão possui velocidades máximas permitidas que variam de 60 km/h a 70 km/h. Dez viaturas dos Bombeiros foram ao local do acidente, onde constataram a morte de um homem que estava num dos carros, além de socorrerem outras três que haviam ficado presas nas ferragens dos veículos.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.