Se beber, não mergulhe: os riscos de nadar alcoolizado

Exame – Do AdNews

São Paulo – É claro que alertas são importantes, mas nada pode ser mais efetivo que a iniciativa de mostrar na prática quais são os efeitos reais para alguém incapaz de ouvir as advertências.

Desenvolvido pela agência da Weber Shandwick na Suécia, o filme “Don´t Drink and Dive”, da companhia de seguros Trygg-Hansa, chama a atenção para os riscos de mergulhar alcoolizado.

De olho no verão europeu, quando mais pessoas utilizam lagos e o oceano para nadar, a marca lançou a campanha, que é protagonizada pela equipe de nado sincronizado de Estocolmo, três vezes campeã do mundo.

ADVERTISEMENT

Sob a supervisão de René Tour, médico da equipe, dois salva-vidas da Swedish Life Saving Society e um mergulhador profissional, os nadadores tentam realizar a performance campeã após beberem alguns drinques. O resultado é naturalmente desastroso.

Números internacionais mostram que o consumo de álcool está associado em até 70% das mortes relacionadas à recreação na água.

“Levando em conta o fato de que uma em cada duas pessoas que se afogam possuem álcool em seu sangue, estamos tentando mostrar para as pessoas os riscos de nadarem embriagadas. Se presumimos que os suecos nadam no verão e também no inverno (após a sauna), significa que cerca de 10.000 suecos nadarão bêbados, todos os dias, de acordo com nossa pesquisa”, afirma Johan Eriksson, chefe de comunicação da Trygg-Hansa.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.