MACONHA E ADOLESCENTES

O Papa Francisco fala: “Nós temos em nossas mãos a responsabilidade e a possibilidade de fazer este mundo muito melhor para nossas crianças”.
A maconha pode ser muito danosa durante o desenvolvimento de um jovem e causa problemas quando se é adulto.
O consumo crônico pode acarretar sérios problemas de motivação comportamental, principalmente em crianças e adolescentes. Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, o uso da maconha antes dos 15 anos está relacionada ao aumento 6 vezes maior na taxa de evasão escolar.
Um estudo feito na Alemanha onde participaram 2.500 pessoas mostrou que o uso crônico (durante 4 anos) aumentou em 25% a chance de manifestar surtos psicóticos em indivíduos com predisposição. “Doses elevadas de maconha, sobretudo em usuários inexperientes, podem levar a episódios agudos de ansiedade, confusão mental e paranoia”
Quem fuma maconha pode sentir desde euforia ou sonolência até delírios e alucinações.
Fumar maconha é mais prejudicial aos pulmões do que fumar tabaco. O uso na gravidez acarreta menor estatura em recém nascidos.
Em 1992, o bioquímico Raphael Mecholam, da Universidade Hebraica em Jerusalém, descobriu que de certa forma todos nós produzimos nossa própria maconha. Em nosso cérebro ela está espalhada uniformemente cumprindo múltiplas funções e em total equilíbrio. Grande parte dela está situada: no hipotálamo, que desempenha papel crucial no apetite, no cerebelo, que coordena a atividade motora, no hipocampo, importante para a formação da memória, na amígdala, relacionada às emoções e à ansiedade e no neocórtex, área das funções cognitivas (fala, pensamentos, sentidos).
Ao fumar a maconha a droga imita os efeitos químicos do cérebro produzindo sensação de alívio do estresse mental acompanhado de sensação de paz, de satisfação e de euforia. Aí está a armadilha: por produzir esta sensação muitos que experimentam não conseguem mais largá-la. Entram nesse mundo muitas vezes sem volta.
Em nosso trabalho chamado “Além da Rua” com adolescentes percebemos claramente as diferenças entre aqueles que são usuários de drogas.
Alguns apresentam dificuldades de escrever o próprio nome, não sabem tabuada, tão elementar para a realização de cálculos.
Em novembro o antigo Presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso pediu a legalização de todas as drogas. Ele é um homem maravilhoso, porém deve estudar os males físicos e psíquicos que a maconha causa.
“Senhor, faze com que meus olhos vejam tua mão bondosa em todas as Tuas obras e que eu me alegre com as Tuas criações.”

Haroldo J. Rahm, SJ

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.