Estudantes trocam cigarro diário por maconha, segundo estudo

Terra Notícias

Enquanto 5% se identificaram como fumantes pesados, pouco menos de 6% disseram usar maconha todos os dias

Mais universitários americanos estão tornando o consumo de maconha um hábito, ultrapassando o número daqueles que fumam cigarro, de acordo com um estudo divulgado nesta terça-feira (1) pela Universidade de Michigan. As informações são da Fox News .

De acordo com o estudo anual “Monitorando o Futuro”, pouco menos de 6% dos estudantes contatados pelos pesquisadores disseram usar maconha todos os dias ou ter utilizado pelo menos 20 vezes nos últimos 30 dias.

Em contrapartida, 5% dos estudantes se identificaram como fumantes pesados, aqueles que fumam mais de dois maços de cigarro por dia, um grande declínio da taxa de 19% de 1999.

Essas descobertas sugerem que adolescentes e jovens adultos absorveram as informações sobre os riscos do cigarro, porém, cada vez mais optam pela maconha por acharem que ela traz menos riscos, apontou o investigador Lloyd Johnston. “É claro que pelos últimos sete ou oito anos houve um aumento no consumo de maconha entre os estudantes universitários”, disse Johnston. “E isso é um paralelo com o aumento do consumo de maconha entre os estudantes do último ano do ensino médio”.

O Instituto de Pesquisa Social da Universidade de Michigan tem estudado uma parcela representativa de universitários de todo o território americano sobre seus hábitos de consumo de drogas e bebidas alcoólicas desde 1980.

Em 2014, a porcentagem de usuários que utilizam maconha todos ou quase todos os dias bateu um recorde, além de ser a primeira vez que esse número ultrapassa o de fumantes.

Outros dados apontam que 21% dos participantes disseram ter usado maconha pelo menos uma vez no mês anterior à pesquisa e 34% disseram ter usado no ano anterior.

O estudo também mostrou que menos estudantes estão abusando de bebidas alcoólicas. Apenas 5% disseram ingerir uma grande quantidade de álcool – pesquisadores definem como alta quantidade entre 15 ou mais drinks de uma vez só pelo menos uma vez nas últimas duas semanas.

Já o número de estudantes que disseram ter usado cocaína no ano anterior à pesquisa aumentou de 2,7%, em 2013, para 4,4%, em 2014. Johnston afirmou que o aumento é significante, mas ainda é cedo para afirmar que a droga está retornando com tudo aos campi universitários.

Apesar desses números, pesquisadores garantem às mães e aos pais que não precisam se preocupar. Segundo Johnston, metade dos alunos que responderam à pesquisa disse não ter utilizado nenhuma droga no ano anterior.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.