Jovem presa por atropelar operário diz que ingeriu bebida alcoólica; veja

G1

A universitária Larissa Pinheiro Correia, de 22 anos, que atropelou um operário que trabalhava na manutenção da BR-153, em Goiânia, na madrugada desta quinta-feira (7), confessou à Polícia Rodoviária Federal (PRF) que havia consumido bebidas alcoólicas. Em um vídeo, gravado enquanto a jovem recebia atendimento médico, um policial perguntou se ela havia bebido. A estudante, que estava vestida apenas com calcinha e blusa, respondeu: “Bebi, claro!” (assista acima).

Em seguida, ao ser questionada sobre o período em que esteve bebendo, a jovem disse: “Desde às 23h [de quarta-feira (6)]”. Ela também informou que havia saído de uma boate e perguntou ao agente que horas eram. “Três horas da manhã”, respondeu ele.

O vídeo ainda mostra que Larissa aceitou fazer o teste do bafômetro. O exame apontou 0,35 miligramas de álcool por litro de ar expelido, comprovando a embriaguez.

O acidente aconteceu por volta das 2h. Segundo a PRF, a motorista estava em alta velocidade e com faróis apagados. Ao passar pelo local em que era feita a manutenção na pista por funcionários da concessionária que administra a rodovia, ela perdeu o controle da direção, atingiu cones e placas de sinalização e atropelou o operário. O veículo só parou ao bater na traseira do caminhão da empresa.

“Ela seguia em alta velocidade e invadiu a sinalização com os faróis apagados. Os funcionários relataram que tentaram adverti-la por três vezes, com o uso de um apito, mas ainda assim não houve tempo necessário para que o trabalhador pudesse sair da pista ileso. Ele foi atingido pela condutora, que estava visivelmente embriagada e totalmente fora de controle pelo uso de bebidas alcoólicas”, contou o inspetor Felisberto Tavares.

Universitária foi presa após atropelar operário em rodovia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O jovem atropelado, que tem 23 anos, foi socorrido por uma ambulância da concessionária e levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Ele sofreu fratura exposta nas duas pernas e, por volta das 13h, passava por uma cirurgia.

A PRF informou que ao descer do veículo, Larissa estava usando apenas calcinha e uma blusa. Segundo a corporação, ela apresentava visíveis sinais de embriaguez, como fala enrolada, odor etílico e algumas características de alucinações. Ela foi presa em flagrante.

Como sofreu alguns ferimentos leves, ela foi levada a uma unidade de saúde. A reportagem flagrou o momento em que os pais da jovem chegaram ao local (veja no vídeo acima), mas eles preferiram não se pronunciar sobre o caso.

Investigação
Após receber atendimento médico, a jovem foi levada para a Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito de Goiânia (Dict), em Goiânia, onde seguia prestando depoimento por volta das 13h.

De acordo com a delegada Adriana Carvalho, Larissa será autuada por tentativa de homicídio. “Ela deve responder por esse crime devido à gravidade da conduta que ela adotou. Isso a partir do momento em que ela saiu dirigindo embriagada e se deparou com a situação como a que estava na rodovia, que era um trecho de obras longo, bem sinalizado, mas que ela não respeitou nenhuma sinalização”, afirmou.

Segundo a delegada, em função da tipificação do crime, não cabe fiança e a jovem ficará detida até que a Justiça analise o caso. “A autoridade policial não pode arbitrar essa fiança, já que foi optado pelo crime de tentativa de homicídio. Sendo assim, só o Poder Judiciário poderá decidir se ela deve ter direito à liberdade ou deve permanecer presa preventivamente, assim como definir o tempo da pena, caso ela seja condenada”, destacou.

A Triunfo Concebra, empresa responsável pela rodovia, informou que o serviço de manutenção é feito à noite para diminuir os transtornos para os motoristas, já que de dia a rodovia é muito movimentada. Mas reforçou que o local estava devidamente sinalizado.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.