Utilização do bafômetro é a menor em quatro anos nas fiscalizações em Blumenau

Diário Catarinense

Por Lucas Paraizo

Oktoberfest, Festival Nacional da Cerveja, Festival de Botecos e cervejarias artesanais que são parada quase obrigatória no happy hour durante a semana. Em Blumenau cerveja faz parte da tradição alemã, e com apenas quatro bafômetros na cidade a fiscalização entre os motoristas que pegam o volante após consumir álcool não acontece com tanta frequência. De acordo com dados disponibilizados pela Guarda Municipal de Trânsito (GMT), o número de testes do bafômetro realizados em Blumenau vem caindo ano a ano, mesmo com o número de blitze aumentando. Inclusive com operações conjuntas entre a Guarda e a Polícia Militar. A GMT, responsável pela maior parte das operações, não faz ações exclusivas da Lei Seca, mas testa os motoristas dentro de outras abordagens, como as de checagens de documentos.

Durante 2015, a equipe de fiscalização conjunta dos dois órgãos fez 369 blitze de trânsito na cidade. Nestas, 80 casos foram enquadrados no Artigo 165 do Código de Trânsito: dirigir sob influência de álcool. No entanto, em 37 situações a aplicação do teste do bafômetro foi recusada pelo condutor suspeito. Em 38 o resultado foi positivo e em somente cinco ocorrências o teste foi negativo para a presença de álcool. O mês com mais testes foi março, quando Blumenau sedia o Festival Nacional da Cerveja. Foram 53 abordagens e 22 motoristas pegos dirigindo alcoolizados. Curiosamente, em outubro, mês da Oktoberfest, somente uma pessoa foi flagrada burlando a lei nas 26 blitze realizadas.

Em comparação com os anos anteriores, 2015 foi o com menor uso dos bafômetros em Blumenau. Em 2012 foram 206 ocorrências registradas, entre testes realizados e recusados, entre abril e dezembro (os três primeiros meses não foram contabilizados pela equipe). Em 2013 o número caiu para 166 nos 12 meses, enquanto 2014 registrou 104, sendo que os números de maio, junho e julho não constam no relatório devido a mudanças na equipe de fiscalização. Tudo isso representa uma queda de 61% no número de ocorrências de 2012 para 2015.

Contenção de despesas diminuiu o número de blitze, diz responsável

De acordo com o responsável pelas fiscalizações da GMT, Tarcísio dos Santos, a guarda não possui estrutura para fazer blitze todos os dias e, por conta de uma contenção de despesas que diminuiu a carga horária de trabalho dos guardas, menos operações foram realizadas na madrugada em Blumenau ano passado, inclusive durante a Oktoberfest.

– Fazemos o bafômetro naquele motorista que tem mais sinais de embriaguez, não tem como testar todo mundo. E temos um problema com os avisos de blitze. Se coloco uma viatura perto de algum bar, na hora alguém avisa no WhatsApp e os motoristas desviam o caminho – ressalta.

Ainda segundo os dados da guarda, a embriaguez ao volante foi a causa provável de 209 acidentes durante o ano passado em Blumenau, cerca de 4% do total. Só fica atrás da imprudência e do excesso de velocidade. No entanto, os três pontos estão relacionados:

– Imprudência e excesso de velocidade estão diretamente ligados ao álcool também. A pessoa bebe, o corpo fica leve e o pé pesado – aponta a coordenadora do movimento Maio Amarelo em Blumenau, Márcia Pontes.

Das 29 mortes registradas pelas ruas de Blumenau em 2015, quatro tiveram relação comprovada com motoristas alcoolizados.

JORNAL DE SANTA CATARINA
Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.