Filmes sem cigarro — Relatório da OMS sugere que a indústria do tabaco está usando o cinema para influenciar os jovens

Revista Época

Jairo Bouer

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou recentemente a nova edição do relatório Smoke-free movies (Filmes sem cigarro), em que recomenda que os filmes que exibem imagens de pessoas fumando deveriam receber classificação indicativa para adultos.

Segundo a entidade, 44% de todos os filmes exibidos em 2014 e 36% daqueles classificados para os jovens traziam imagens de cigarro. Para ela, a indústria do tabaco está usando a “telona” como uma espécie de última fronteira para anúncios, mensagens subliminares e patrocínios, já que uma série de medidas em diversos países passou a restringir a publicidade do tabaco.

Os especialistas da organização citam estudos que mostram que quatro em cada dez crianças começam a fumar depois de ver atores famosos dando suas “pitadas” nos filmes. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) estimam que 6 milhões de jovens americanos começaram a fumar no país por causa dos filmes em 2014.

Além disso, a OMS sugere que mensagens com alertas sobre os riscos do cigarro deveriam ser exibidos antes de filmes, séries de TV e webséries que contenham imagens de pessoas fumando. Os dados foram publicados pelo jornal inglês Daily Mail.

Só na China, estima-se que os filmes de Hollywood alcancem mais de 2,5 bilhões de impressões de imagens de cigarro por ano. Mas as cenas não são exclusividade dos filmes americanos. Pesquisas mostram que os produzidos em seis países europeus, que alcançaram bilheterias elevadas (incluindo alemães, ingleses e italianos), continham cenas de pessoas fumando em filmes classificados para menores de 18 anos. E 90% dos filmes argentinos também exibiram imagens de fumo em filmes para jovens.

Mais medidas

A proteção dos mais novos contra a exposição ao cigarro avançou no final de 2015, quando o Reino Unido passou a proibir que adultos fumem dentro de carro com crianças ou menores de 18 anos. Três milhões de crianças são expostas à fumaça de cigarro nos veículos britânicos. A nova lei prevê uma multa de cerca de R$ 250. Segundo o Ministério da Saúde da Inglaterra, 200 mil crianças começam a fumar a cada ano no país.

Legislações semelhantes existem no País de Gales, Bahrein, África do Sul e em partes de Austrália, Canadá e Estados Unidos. Outros países estudam a medida.

A ideia de tentar dissociar hábitos como fumar e guiar e, ainda, tentar reduzir a exposição dos mais novos a imagens de ídolos fumando pode ter um impacto positivo na redução do tabagismo entre os jovens. Seria interessante que novelas, seriados, internet e filmes de grande alcance produzidos aqui no Brasil estudassem essa proposta.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.