Maconha pode te deixar mais pobre que seus pais, diz estudo

Revista Exame – Do HuffPost Brasil

Pablo Porciuncula/AFP

Maconha: estudo aponta para uma relação entre o uso persistente da maconha e baixos salários e sinais de depressão

Pelo o que mostra a medicina até o momento, a maconha segue como uma droga menos danosa à saúde que diversas substâncias legais.

Seguimos sem registros de overdose pelo uso da droga. E, sim, ela é 144 vezes mais segura do que o álcool e com menor potencial de adição.

Mas nada disso quer dizer que a maconha seja completamente inofensiva. Um estudo feito em conjunto por pesquisadores da University of California e da Duke University aponta para uma relação entre o uso persistente da maconha e baixos salários e sinais de depressão.

O estudo publicado no Clinical Psychological Science, no dia 23 de março, aponta que pessoas que usuários que fumam maconha quatro ou mais dias na semana regularmente acabam em classes sociais mais baixas que seus pais, com menor salário e menor capacitação quando comparado com quem não faz consumo regular da droga.

“A cannabis pode ser mais segura do que o álcool para a saúde, mas não para as finanças”, aponta Terrie Moffitt, psicológo da Duke University.

Para a pesquisa, 1.037 voluntários foram acompanhados de criança até os 38 anos. Os viciados em álcool e maconha apresentam declínios em status sociais, comportamentos antissociais no trabalho e problemas de relacionamento. Acontece que, de acordo com o novo estudo, os os dependentes de maconha encontram maiores problemas para manter as contas em dia.

Segundo os pesquisadores, 18% dos participantes foram considerados dependentes e 15% se enquadravam como usuários regulares da droga.

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.