Toninho e a poção da falsa felicidade

image002

Resenha

No Brasil, estima-se que pelo menos 28 milhões de pessoas tenham um familiar dependente químico. Evidências demonstram que o uso de álcool e/ou substâncias ilícitas podem causar um impacto negativo particularmente nos mais próximos, como cônjuges, pais e filhos.

A história do Toninho mostra o quanto é nocivo o uso de substâncias ilícitas para quem usa e para os seus familiares. A exposição a experiências como violência doméstica, abuso infantil, ausências prolongadas e negligência, muitas vezes, manifestam-se na forma de sintomas físicos e psicológicos. Crianças e familiares tornam-se uma população vulnerável e com necessidades de atenção e cuidados especiais. Assim, este livro é uma ferramenta que possibilita às crianças o aprendizado de estratégias assertivas para lidarem com essa dolorosa problemática. Os autores também organizaram um caderno de exercícios com sugestões para que a criança consiga aprender a lidar com as dificuldades decorrentes de alguém da família ser usuário dessas substâncias.

SOBRE OS AUTORES:

Adriana Zanonato 

Psicóloga clínica. Especialista em Terapia Familiar e de Casais e em Terapia Cognitivo-Comportamental, sendo professora e supervisora junto aos Cursos de Terapia Familiar e de Casais em Terapias Cognitivo-Comportamentais do InTCC – Ensino, Pesquisa e Atendimento Individual e Familiar, de Porto Alegre. Coordena o Ambulatório e o Curso de Especialização em Terapia Cognitivo-Comportamental na Infância e Adolescência dessa instituição. Coautora dos livros Trabalhando com crianças e suas famílias: casos clínicos ilustrados (2010), Trabalhando com crianças e suas famílias: histórias terapêuticas (2012), De minha boca saem cobras e lagartos e A menina aprisionada (2013) e A disputa dos pensamentos (2015).

Luiz Carlos Prado

Médico psiquiatra. Especialista em Psiquiatria Infantil pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Terapeuta familiar e de casais com formação em Terapia Cognitivo-Comportamental, atuando como professor e supervisor dos Cursos de Terapia Familiar e de Casais e de Terapias Cognitivo-Comportamentais do InTCC – Ensino, Pesquisa e Atendimento Individual e Familiar, de Porto Alegre. Autor de O ser terapeuta (2002), Entre a realidade e os sonhos: o desafio das famílias com bebês (2006), coautor de Trabalhando com crianças e suas famílias: casos clínicos ilustrados (2010), Trabalhando com crianças e suas famílias: histórias terapêuticas (2012), De minha boca saem cobras e lagartos e A menina aprisionada (2013) e A disputa dos pensamentos (2015), além de autor de As múltiplas faces da infidelidade conjugal (2012).

Maria de Fátima Padin

Doutora em Ciências pelo Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Psicóloga. Especialista em Dependência Química pela UNIFESP. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa na área de família UNIAD/UNIFESP, Conselheira Técnica (Trustee) Addiction and the Family International Network – Birmingham/Inglaterra. Coordenadora do Módulo de Dependência Química do Curso de Especialização em Saúde Mental da Infância e Adolescência (CESMIA) do Departamento de Psiquiatria Infantil e Adolescência UNIFESP. Diretora Clínica e supervisora da Clínica “Alamedas, Tratamento e Reabilitação da Dependência Química”.

Marina G. Caminha

Psicóloga. Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental pela Unisinos e pela Federação Brasileira de Terapias Cognitivas (FBTC). Docente na área de Terapia Cognitivo-Comportamental. Autora e coautora de diversas obras-referência na área das Terapias Cognitivas. Diretora Administrativa do InTCC/RS (Brasil). Coordenadora do curso de especialização em Psicoterapias Cognitivas do InTCC – RS e dos cursos de Especialização em Psicoterapias Cognitivas na Infância e Adolescência do InTCC – Rs. Criadora do programa TRI (Terapia de Reciclagem Infantil) e TRI-P (Trabalho de Reciclagem Infantil – Preventivo).

Renato M. Caminha

Psicólogo. Mestre em Psicologia Social e da Personalidade pela PUCRS. Terapeuta Cognitivo. Professor pesquisador na área de Psicoterapias Cognitivo-Comportamentais. Docente na área de Terapia Cognitivo-Comportamental. Autor de diversas obras-referência na área das Terapias Cognitivas. Diretor de Ensino, Coordenador do curso de especialização em Psicoterapias Cognitivas e do curso de Especialização em Psicoterapias Cognitivas na Infância e Adolescência do InTCC/RS (Brasil). Membro fundador e presidente da Federação Brasileira de Terapias Cognitivas (FBTC), biênio 2005-2007. Atual membro da Diretoria da Sociedade Latino-Americana de Terapias Cognitivas (ALAPCO). Criador do programa TRI (Terapia de Reciclagem Infantil) e TRI-P (Trabalho de Reciclagem Infantil – Preventivo).

DADOS TÉCNICOS

ISBN 978-85-64468-70-2

Formato: 16 x 23cm | 64 Páginas | Peso:142 g

Acabamento: Brochura

Sinopsys Editora e Sistemas Ltda

(51) 3066.3690

comercial@sinopsyseditora.com.br

www.sinopsyseditora.com.br

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.