Misturar maconha e tabaco aumenta risco de dependência, diz estudo

Levantamento envolveu entrevistas com 33.687 usuários de maconha.

Quem usa maconha pura tem mais chance de procurar ajuda.

Do G1, em São Paulo

Consumir maconha misturada com tabaco pode aumentar o risco de dependência às duas drogas, segundo um estudo publicado nesta terça-feira (5) na revista médica “Frontiers in Psychiatry”.

Segundo dados de um levantamento que ouviu 33.687 usuários de maconha, a Pesquisa Global de Drogas de 2014, pessoas que consomem maconha sem tabaco, principalmente usando vaporizadores ou cachimbos, têm 61,5% mais chance de procurar ajuda profissional para diminuir o uso de maconha e 80,6% mais chance de procurar ajuda para usar menos tabaco em comparação aos que fumam cigarro de maconha misturada com tabaco.

O levantamento envolveu entrevistas online com usuários de maconha de 18 países da Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul, incluindo o Brasil, além da Austrália.

“Nossos resultados destacam a importância das rotas de administração ao considerar os efeitos à saúde da maconha e mostram que a coadministração de tabaco e maconha está associada com um declínio na motivação de cessar o uso do tabaco e buscar ajuda para cessar o uso do tabaco e da maconha”, diz o psiquiatra Michael T. Lynskey, professor do King’s College London e um dos autores do estudo.

Ele sugere que o estudo seja levado em conta para o desenvolvimento de políticas que limitem o acesso a formas de consumo de maconha que envolvam mistura com tabaco em países que estão legalizando o uso da droga.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1 bilhão de pessoas usam tabaco no mundo, e 182 milhões de pessoas usam maconha.

O estudo sobre o impacto da mistura do tabaco e da maconha no nível de dependência foi conduzido por pesquisadores da Universidade College London, King’s College London, Universidade de Queensland e do Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra (NHS).

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.