Polícia realiza ação contra tráfico de drogas e lavagem de dinheiro no RS

G1

Operação deflagrada na manhã desta sexta-feira na Região Metropolitana (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta sexta-feira (8), uma operação contra os crimes de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Três pessoas foram presas na ação. Agentes cumprem 19 mandados judiciais em Porto Alegre, Cachoeirinha e Sapucaia do Sul, municípios da Região Metropolitana da capital.

Um dos presos é um empresário que atua na revenda de automóveis. Ele é apontado como responsável pela lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas nestas cidades. Com ele, foi apreendida uma arma em situação ilegal.

Além dele, outras duas pessoas também foram presas, sendo que um deles também é empresário que atua no ramo de revenda de veículos. Ele foi preso em flagrante em Sapucaia do Sul com uma arma. Um terceiro suspeito que cumpria prisão domiciliar em Cachoeirinha também foi preso por porte ilegal de arma.

De acordo com o delegado Endrigo Marques, responsável pela investigação, o lucro obtido pelos traficantes era investido em automóveis para ocultar a origem ilícita do dinheiro. Eles adquiriam veículos em nome de terceiros, com participação de empresários de revenda de carros, para dificultar o rastreamento policial.

“A lavagem de dinheiro sempre tem um crime antecedente. Depois, os criminosos buscam fazer algo para esconder o dinheiro ilegal. Neste caso, eles colocavam os veículos em nome de pessoas que não tinham antecedentes criminais, mas pertenciam à quadrilha”, explica Marques.

Na ação, foram realizadas buscas em pontos de tráfico, nas empresas de revendas de automóveis e em casas de suspeitos. Foram apreendidos veículos, documentos e computadores.

Célula da quadrilha do ‘caveirão da morte’

Chapas de ferro utilizadas para a segurança do motorista do veículo (Foto: Roberta Salinet/RBS TV)
Chapas de ferro utilizadas para a segurança do motorista do veículo (Foto: Roberta Salinet/RBS TV)

Conforme o delegado Endrigo Marques, quadrilha visada na operação desta sexta-feira (8) é uma célula da mesma organização criminosa que usava um veículo blindado artesanalmente, conhecido como ‘caveirão da morte’, para cometer assassinatos de desafetos e queimas de arquivo. A polícia acredita que até 40 pessoas possam ter sido mortas no carro, um Honda Civic.

O veículo, apreendido no ano passado, possuía chapas de ferro para proteção do motorista e do passageiro, com uma abertura para atirar a partir do banco de trás. No porta-malas, os policiais localizaram três furos, que seriam usados para o escoamento de água e sangue.

O carro foi encontrado após os desdobramentos de uma megaoperação chamada Clivium (do latim declive, porque os chefes da quadrilha viviam em uma ladeira) deflagrada em 25 de junho, nas cidades de Porto Alegre, Gravataí, Cachoeirinha e Sapucaia do Sul, quando 23 pessoas foram presas.

A quadrilha é chefiada pelos irmãos Vinicius Otto, João Paulo Otto e Eduardo Otto, todos de Gravataí, e já presos por crimes ligados ao tráfico de drogas, sequestro, uso de armamento restrito e homicídio.

Chapa de ferro era utilizada para proteção e ataque  (Foto: Roberta Salinet/RBS TV)
Chapa de ferro era utilizada para proteção e ataque (Foto: Roberta Salinet/RBS TV)
Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.