Alcoólicos Anônimos – Um caminho para a sobriedade

*Por Adriana Moraes

Com frequência, os grupos de ajuda Alcoólicos Anônimos (AA) recebem novos membros em busca do caminho para a sobriedade. Este texto foi criado especialmente para os recém-chegados conhecerem melhor como funciona o trabalho da Irmandade.

Vamos entender qual a importância dos grupos Alcoólicos Anônimos na vida do dependente de álcool, como é recebido um novo membro em AA, qual a razão do anonimato dos grupos, o que acontece nas reuniões que motivam seus membros para a busca da recuperação, entre outros.

O novo membro é muito bem vindo, sendo o único responsável por sua recuperação e ao engajar ao grupo passa a conhecer e aceitar melhor a sua doença.

Primeiramente mostra-se necessário dizer que o consumo de álcool é um dos maiores problemas de saúde pública no Brasil e em outros países.É uma droga (depressora do sistema nervoso central), comercializada de forma legal, exceto para os menores de 18 anos.

Alcoolismo é o termo usado para descrever problemas relacionados com o uso de álcool, sendo geralmente usado no sentido de consumo compulsivo e descontrolado de bebidas alcoólicas, trata-se de uma patologia de caráter crônico, passível de muitas recaídas e responsável por inúmeros prejuízos clínicos, sociais, trabalhistas, familiares, econômicos, acidentes de transito e traumas. [1]

Grupos Alcoólicos Anônimos

AA é uma Irmandade que reúne portadores de alcoolismo, uma doença incurável. Sua proposta é ajudar o dependente de álcool a parar de beber, o único requisito para frequentar os grupos é o desejo sincero de interromper o consumo da bebida alcoólica.

Alcoólicos Anônimos é uma Irmandade mundial de homens e mulheres que se ajudam mutuamente a manter a sobriedade e que se oferecem para compartilhar livremente sua experiência na recuperação com outros que possam ter problemas com seu modo de beber. [2]

Foi criado em 1935, visando à abstinência total do álcool. O grupo é formado por pessoas dependentes de álcool dispostos a compartilhar experiências, forças e esperanças para a manutenção da sobriedade e o anonimato é seu alicerce principal. AA está no Brasil há 69 anos. As reuniões são gratuitas e nelas seus membros trabalham única e exclusivamente a recuperação da pessoa que sofre com os problemas relacionados à dependência do álcool.

Os grupos reúnem homens e mulheres com problemas de alcoolismo, com perdas significativas em suas vidas. Todos os membros dividem o mesmo objetivo: resolver seu problema com a bebida e ajudar os outros a se manter abstinente do álcool. Para a Irmandade não existe beber de forma leve e moderada, não existe o beber social, nem o controle da bebida que muitos acreditam ter, todos devem evitar o primeiro gole para alcançar a sobriedade.

Importante destacar que os grupos de Alcoólicos Anônimos não pertencem a nenhuma seita ou religião, nenhum partido político, nenhuma organização ou instituição; os grupos não desejam entrar em qualquer controvérsia; não apoiam nem combate quaisquer causas. [3]

 Para conhecermos melhor o trabalho da Irmandade, tive a satisfação de conversar com um dos seus membros que gentilmente nos orientou. Respeitando as tradições de AA, preservaremos seu anonimato pessoal, informando apenas seu primeiro nome.

Acompanhe a entrevista da Sra. Neusa:

1ª) Qual a importância dos grupos Alcoólicos Anônimos na vida do dependente de álcool?

A importância dos grupos se dá através do compartilhar de experiências forças e esperança nas reuniões e, através dos 12 passos sugeridos para a recuperação do alcoolismo.

2º) Conte-nos com detalhes como é recebido um novo membro do AA.

É recebido com cortesia, café e bolacha e normalmente dizemos: “foi bom você ter vindo e se tiver o problema que nós temos, está no lugar certo”, então é entregue ao final da reunião algumas literaturas, dentre elas “você deve procurar o A.A.” que são doze perguntas que somente ele poderá responder. O recém chegado é a pessoa mais importante da reunião.

3ª) Por que o anonimato nos grupos?

Porque o anonimato assegura a privacidade para todos os membros, uma salvaguarda frequentemente muito importante para os ingressantes, que poderiam hesitar em procurar A.A., se tivessem alguma razão para acreditar que seu alcoolismo poderia ser exposto publicamente.

4ª) De que forma os grupos  AA promovem a mudança do indivíduo?

O grupo não muda ninguém. Os membros seguem um programa de mudança de hábito que requer total honestidade consigo mesmo. Raramente vimos alguém fracassar tendo seguido cuidadosamente nosso programa de recuperação.

5ª) O que acontece nas reuniões do AA que motivam seus membros para a busca da recuperação?

Depoimentos de identificação, onde os membros compartilham suas experiências vividas.

6ª) Para ser um membro de AA, a única exigência é o desejo de abandonar a bebida. Caso um deles recaia, qual é o procedimento adotado pelos grupos?

Do momento que a pessoa se declarou um alcoólico, para nós ele sempre será um membro de A.A., mesmo que recaia, será sempre bem vindo a qualquer momento.

7ª) Como funciona o apadrinhamento e qual a importância deste trabalho?

Na essência, o processo de apadrinhamento funciona assim: escolhemos um membro de A.A. que já tenha feito um certo progresso no programa de recuperação, com quem ficamos a vontade para conversar, quando nos sentimos confusos e preocupados, pois com o padrinho podemos conversar livre e confidencialmente. Sabemos pela experiência que nossa sobriedade fica mais fortalecida quando a dividimos com o outro.

8ª) Na programação dos 12 passos, existe algum especial de maior relevância?

O primeiro passo, pois se o membro não praticar o primeiro passo na íntegra, que é o passo da aceitação, os demais dificilmente serão praticados.

9ª) Qual o real significado do termo ‘Só por hoje” citado nas reuniões de AA?

O importante é viver um dia de cada vez, apenas às 24 horas, para evitarmos cometer os erros de ontem que nos levavam a beber e sem nos preocupar com amanhã, que poderá não chegar.

10ª) O acesso as reuniões é totalmente gratuito, como os grupos se mantêm?

Nos mantemos através das nossas próprias contribuições, que são voluntárias. Não no sentido obrigatório.

Agradeço a Sra. Neusa, pelas informações!

Finalizo o presente texto com a Oração da Serenidade:

Concedei-nos, Senhor, a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos, e sabedoria para distinguir umas das outras.

*Adriana Moraes – Psicóloga da SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina) – Especialista em Dependência Química – Colaboradora do site da UNIAD (Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas).

 

Referências:

 [1] Dependência Química: prevenção, tratamento e políticas públicas / Alessandra Diehl – Daniel Cruz Cordeiro – Ronaldo Laranjeira – Porto Alegre: Artmed, 2011.

 [2] http://www.alcoolicosanonimos.org.br/sobre-a-a/informacoes-sobre-a-a

[3] http://www.alcoolicosanonimos.org.br/para-o-recem-chegado

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.