Comissão rejeita área separada em mercado para venda de bebida alcoólica

Agência Câmara de Notícias

Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados
Araújo: O excessos se devem mais a uma cultura de associar álcool a diversão

A Comissão de Defesa do Consumidor rejeitou na quarta-feira (23) proposta que pretendia obrigar mercados, hipermercados, supermercados e postos de conveniência a oferecerem aos seus clientes áreas específicas e isoladas para a venda de bebidas alcoólicas. O texto rejeitado é o do Projeto de Lei 2612/15, do deputado Marcos Soares (PR-RJ).

Pelo projeto, menores de 18 anos seriam proibidos de entrar na área exclusiva destinada à venda de bebidas alcoólicas. O descumprimento da medida, segundo o projeto, submeteria o responsável pelo estabelecimento às penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90).

Ao defender a rejeição do texto, o relator no colegiado, deputado José Carlos Araújo (PR-BA), considerou que as atuais regras sobre a venda e a publicidade de bebidas alcoólicas já se mostram suficientes para promover o equilíbrio desejado entre consumo responsável e a atividade econômica dos estabelecimentos comerciais.

“Se há excessos, esses se devem muito mais a uma cultura de associação do álcool à diversão e pela falta de conscientização acerca dos males físicos que o abuso da substância pode causar”, disse Araújo.

Atualmente, as restrições ao uso e à propaganda de bebidas alcoólicas estão previstas na Lei 9.294/96, que também trata de produtos fumígeros, medicamentos, terapias e defensivos agrícolas.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será ainda analisado pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Sandra Crespo
Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.