USP Talks discute uso de canabinoides e maconha; participe

Jornal O Estado de S. Paulo

Evento na quarta-feira contará com a participação dos especialistas José Alexandre Crippa, da USP, e Ronaldo Laranjeira, da Unifesp

Uso da maconha in natura segue contestado e proibido no País

A regulamentação do uso terapêutico da maconha e dos seus derivados – os chamados canabinoides – será tema do próximo USP Talks, que ocorre nesta quarta-feira, 29, com a participação dos especialistas José Alexandre Crippa, da Universidade de São Paulo (USP), e Ronaldo Laranjeira, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou recentemente a importação e o registro de remédios à base dessas moléculas, cuja eficácia é comprovada para o tratamento de uma série de doenças. O uso da maconha in natura, porém, segue contestado e proibido no País.

“Nos últimos anos venho atendendo progressivamente um número cada vez maior de adolescentes e jovens, usuários de maconha, que desenvolvem algum tipo de problema mental: dificuldade escolar, apatia e até mesmo esquizofrenia, que é um quadro psicótico, com alucinações e delírios”, relata Laranjeira, professor do Departamento de Psiquiatria e coordenador da Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (Uniad), da Unifesp.

Ele é contra a legalização ou a descriminalização da maconha, pois acredita que levará a um aumento no consumo da droga, com graves consequências para a saúde pública. Estudos realizados por sua equipe indicam que 3 milhões de pessoas consomem a droga no Brasil e quase 1,5 milhão é dependente. Laranjeira falará sobre o efeitos da maconha no organismo e os riscos à saúde associados ao consumo.

Crippa, professor titular de psiquiatria no Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, falará sobre o potencial terapêutico dos canabinoides, que ele acredita ser imenso. Sempre, porém, com a ressalva de que os benefícios estão relacionados ao uso das moléculas isoladas, e não da maconha in natura (fumada), que pode oferecer riscos à saúde. O debate, segundo ele, deve ser norteado por informações científicas, livres de viés ideológico ou político.

O USP Talks está em sua nona edição e é uma iniciativa da USP, em parceria com o Estado e a Livraria Cultura. Busca aproximar cientistas e sociedade para discutir temas que estão em evidência do noticiário nacional.

SERVIÇO

USP TALKS

Quando: quarta-feira, das 12h30 às 13h30

Onde: Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Av. Paulista 2073).

Entrada livre e transmissão online

Anúncios

Sobre Clínica Alamedas

A dependência química está relacionada a diversas questões, seja no aspecto psicológico, biológico, social, econômico ou cultural de toda a família e pessoas ao redor do paciente. A clínica Alamedas possui uma estrutura completa com profissionais competentes e experientes para ajudar cada paciente e a sua família a superar a dependência química, com qualidade de vida e saúde.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.